• Natália Jorge

5 livros sobre comida para dar ou pedir de natal

Vai que o papai noel dos esfomeados passa por aqui...


1) Confeitaria Escalafobética

Raiza Costa é confeiteira, produtora e gênia criativa. Seus vídeos para o Dulce Delight ou para o GNT são disruptivos, assim como suas sobremesas. Já folheei esse livro em algumas livrarias e, além do cheiro de chocolate que emana, a beleza das imagens, da edição e o didatismo das receitas chamam a atenção.


Ao contrário do que possa parecer, as receitas são "fazíveis", sem ingredientes ou técnicas demasiadamente complexas. Outro ponto interessante é que ela não utiliza leite condensado em nenhuma das receitas e, apesar de morar em Nova York, utiliza frutas tropicais em abundância.


Além das receitas, o livro conta um pouco da história de vida da autora, de como ela foi criada em um ambiente livre e cheia de estímulos para a criatividade. Se eu não ganhar o livro de natal, vai entrar de novo na lista da maternidade rs


Se você também é fã, pire na casinha dela em NY neste vídeo:


2) Fermentação à Brasileira

Já parou para se perguntar o que explica a enorme difusão da gastronomia francesa no mundo? Não pela supremacia de sabor ou qualidade técnica - afinal, gosto e qualidade são relativos -, mas muito pelo alto nível de sistematização do conhecimento sobre métodos e ingredientes e pela criação de um vocabulário da gastronomia francesa que acabou tornando-a produto de exportação e mecanismo de influência cultural.


Esse livro contribui com a sistematização e catalogação de algumas técnicas culinárias ancestrais brasileiras que vinham se perdendo na oralidade e em textos esparsos e é um excelente passo para o desenvolvimento de uma metodologia da gastronomia nacional.


Se a fermentação nasceu primariamente como técnica de conservação, hoje vai muito além do aspecto utilitário e se destaca também pelo sabor e pelos probióticos. Esse livro ensina, por exemplo, a fazer hidromel, conservas de pimentas, vinagres, puba, carimã, tucupi, acarajé e até cerveja, produtos de amplo consumo nacional e que merecem, senão serem reproduzidos em casa, ao menos saber como são feitos.


3) Fundamentos da Cozinha Italiana Clássica

Costumo dizer que Marcella Hazan é a Julia Child da culinária italiana. Esse livro contém mais de 500 receitas - que funcionam e que mostram que a cozinha italiana vai muito além do Spaghetti a la Bolognese.


4) Comida de Verdade

Cores vivas, cortes rústicos e camadas de textura e de sabor: são essas as primeiras impressões da culinária do Ottolenghi. Seus pratos têm a beleza do simples, do natural e passam a impressão do menor esforço.


Por ser do Oriente Médio, suas receitas saem do senso comum ocidental e trazem uma mistura de sabores e especiarias que nos parecem fora da caixa, além de muitos pratos veganos ou vegetarianos.



5) Não é sopa

Publicado pela primeira vez em 1994, esse livro foi reeditado pela Companhia das Letras agora em 2020 e reúne crônicas e receitas que Nina Horta escreveu para a Folha de S.Paulo ao longo de mais de uma década.


Nina Horta foi a maior cronista de comida do Brasil. De comida, porque sua linguagem extrapola a culinária e não tem a pretensão dos blablablas gastronômicos. Contém, sim, reflexões bem-humoradas e provocações afiadas, sempre mantendo a simplicidade gostosa de ler (e de comer).


© 2019 COMIDA DE COMER - Natália Jorge

  • Ícone preto do Facebook
  • Ícone preto do Twitter
  • Ícone preto do Pinterest
  • Ícone preto do Instagram